WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de atendimento ao cliente está aqui para responder às suas perguntas. Fale Conosco!
Oi, como posso ajudar?

Social Commerce: As redes sociais gerando vendas online

Social_Commerce_Infographic_copy_copy

30 jan Social Commerce: As redes sociais gerando vendas online

O Poder de Vendas das Redes Sociais – Social Commerce

Em meio ao boom das Redes Sociais e o crescente número de adeptos ao Comércio Eletrônico, o S-Commerce busca transformar as Redes Sociais em negócios rentáveis e o famoso “boca a boca” destas Comunidades Virtuais em geração efetiva de vendas na Web.

Enquanto as Mídias Sociais atestam cada vez mais seu poder de inovação, grande parte das operações de e-Commerce atuais ainda são baseadas na venda por catálogo adaptadas ao meio digital com pouco ou nenhum diferencial.

Ao relacionarmos as Mídias Sociais ao processo de compra online podemos perceber que elas vêm alterando a cara do Comércio Eletrônico há algum tempo, pois, por meio delas, os usuários trocam informações e experiências, influenciando a decisão de compra de seus pares, em suas tribos digitais.

Com o crescimento do Comércio Eletrônico, o mercado passa a conhecer novas necessidades, bem como novas possibilidades de transformação nos modelos de e-Commerce existentes. O Comércio Social surge como uma nova dimensão do e-Commerce: a união de alguns conceitos de Redes Sociais às compras na web, onde todas – ou parte – das etapas do processo de compra realizadas pelo consumidor são compartilhadas com seus contatos das Redes Sociais.

O s-Commerce utiliza as conexões sociais das pessoas para divulgação de marcas. Os internautas podem compartilhar preferências com seus amigos, e estes, por sua vez, repassar a outros, construindo assim um Ciclo Virtuoso de Divulgação, o tão almejado de boca a boca online. Muitos analistas indicam que esse será o próximo boom do Varejo Online, onde não serão mais os portais que venderão seus produtos, mas os próprios consumidores que já compraram é quem vão indicar o produto às suas redes de contatos. As marcas precisarão apenas ceder ou participar de um ambiente propício a tal modelo de relacionamento.

Esse comportamento dos usuários nas Redes Sociais já é percebido na web colaborativa. O próximo passo será utilizar esta ferramenta a favor do fomento do Varejo Online, aliando o Conteúdo Colaborativo às Vendas Online e facilitando o acesso a informações sobre tendências de compras, que contribuem, por exemplo, para o alerta sobre o surgimento de novos nichos de mercado.

Além disso, o Comércio Social se utiliza da credibilidade dos usuários para obter maior sucesso. Acredita-se que 80% da influência exercida nos consumidores vêm de outras pessoas, enquanto que apenas 20%, das marcas (conceito 80/20). Dessa forma, as marcas podem se utilizar da credibilidade dos próprios consumidores para divulgação dos seus produtos.

Unir comércio, comunidade colaborativa e conteúdo em uma mesma plataforma digital de negócios é o diferencial do Comércio Social. O foco não é vender de qualquer forma e sim criar um relacionamento mais íntimo com os consumidores para conhecer melhor suas preferências e anseios e só então oferecer o produto certo, na hora certa, sendo eles convidados por amigos de sua Rede Social e não compelidos à compra.

Nenhum comentário

Postar um comentário